No final do século XIX, os cientistas se depararam com fenômenos físicos que a Física Newtoniana não explicava e isso motivou o surgimento de uma nova teoria, a Teoria Quântica. No início, muitos cientistas não aceitavam os comportamentos do mundo microscópico e as suas explicações porque não admitiam a existência de uma realidade fora do Tempo e Espaço.

Inclusive o próprio Einstein sempre duvidou das explicações fantasmagóricas da Teoria Quântica.

A consolidação de um modelo matemático que representasse a Teoria Quântica e a medida que foram realizados testes que foram cientificamente comprovados, a aceitação começou a acontecer.

Um dos testes comprovados foi da Não Localidade, onde o físico francês Alain Aspect realizou um experimento em 1982. Ele distanciou um par de fótons em sentidos opostos, na velocidade da luz e comprovou a inversão instantânea do spin de um dos fótons, quando o spin do seu par foi invertido. Esse efeito instantâneo fora do domínio do espaço e tempo, foi a comprovação da existência de uma comunicação Não Local, que independe do sinal, como a conhecemos. Esta constatação levou a alguns cientistas a considerar a transcedentalidade e as explicações das religiões orientais, assim como a sua sabedoria que sempre abordaram sobre a Realidade e a nossa Vida.

O físico Fritoj Capra, foi um dos estudioso que fez um brilhante paralelo entre a física moderna e as filosofias e pensamentos orientais tradicionais, aproximando da espiritualidade, da existência da para-normalidade como mostrado no seu livro Tao da Fisica, 1975.

Podemos dizer que a Realidade é única e assim, todo estudo e conhecimento deverá levar para o mesmo lugar, tanto a Religião como a Ciência e portanto nada mais natural a convergência delas.

Como cita o físico Amit Goswami, existe um Domínio do Tempo e Espaço, esse que nós conhecemos, o domínio do concreto e um outro Domínio da Potencialidade ou Domínio da Consciência  que independe do Tempo e Espaço. Na Física Quântica, esse domínio que não depende do tempo e espaço conhecemos como Não Localidade.

O que a Não Localidade pode ajudar a melhorar a nossa vida? Em primeiro, entender que a nossa mente é comandada por uma consciência e a nossa consciência tem a força de escolher o elétron partícula ou onda, a primazia da consciência sobre a matéria. Podemos através da nossa consciência, escolher pela saúde ou pela doença, pela felicidade ou pela infelicidade. O Universo é regido pela Consciência Universal e a nossa Consciência está intrinsecamente ligada a ela. Quanto mais próximo vibramos dela, mais abundância teremos, em termos materiais ou espirituais. Entender que existem leis que regem esta Consciência Universal, como a da Acão e Reação, do Merecimento, da Similaridade, etc., nos traz um caminho a seguir que nos torna mais leves, mais em paz conosco mesmo e isso nos leva a felicidade.

Podemos citar algumas comunicações Não Locais como a sincronicidade de Jung, a telepatia, a comunicação mãe-filha em momento de eminente risco e outros.

Na idade da pedra, não se sabia da existência da eletricidade, mas o homem descobriu e se dominou o uso desse recurso e hoje utilizamos em inúmeras formas como na geração de luz, movimentar os motores, ligar os aparelhos eletrônicos, etc.

Até a pouco tempo, não se conhecia as ondas eletro-magnéticas e só podíamos nos comunicar à distância pelas cartas, pelo som ou pelos sinais visuais. As ondas eletro-magnéticas foram descobertas e através do seu uso, foram desenvolvidos os equipamentos de comunicação como o telefone, rádio, TV, satélite, celular, etc.

Hoje conhecemos a Não Localidade, descoberta recentemente pelos cientistas da Fisica Quantica e ainda não temos o domínio sobre ela e não sabemos como utilizar regularmente, mas um dia a comunicação pela Não Localidade será dominada e fará parte do nosso dia-a-dia. Será que o teletransporte seria viável pelo uso da Não Localidade?

Toshihiro Asamura

Deixe um comentário